Aprenda a usar a coesão textual para tornar seu texto claro ✅

Se você precisa deixar seu texto mais claro, conciso e objetivo, aprender a como utilizar a coesão textual é a chave para tonar sua escrita mais compreensível. A coesão textual é fundamental para que a relação entre as ideias e termos do texto tenha conexão.

COESÃO TEXTUAL: CONEXÃO ENTRE OS TERMOS E IDEIAS

A coesão textual é fundamental para que a relação entre as ideias, termos e palavras enunciadas ao longo de um texto seja mantida. Desse modo, um texto que em alguns momentos peca nesse sentido proporciona ao leitor incoerência, ambiguidade, truncamento de ideias e, por consequência, os argumentos defendidos perdem força. Quando falamos de coesão textual, falamos de conectores, termos que retomam uma ideia, palavra ou termo já citado. Os conectores podem ser pronomes, conjunções, preposições, advérbios, locuções adverbiais, etc.

Halliday & Hasan (1976) distinguem cinco mecanismos de coesão:

  • Referência (pessoal, demonstrativa, comparativa);
  • Substituição (nominal, verbal, frasal);
  • Elipse (nominal, verbal, frasal);
  • Conjunção (aditiva, adversativa, causal, temporal);
  • Coesão lexical (repetição, sinonímia, nomes genéricos).

EXEMPLOS DE COESÃO

  1. Paulo e José são excelentes advogados. Eles se formaram na academia do Largo de São Francisco. (Referência pessoal anafórica)                                             
  2. Pedro comprou um carro novo e José também. (Substituição)
  3. O padre ajoelhou-se. Todos fizeram o mesmo. (Substituição)
  4. Paulo vai conosco ao leilão? _ Vai _ (Elipse)
  5. Houve um violento tumulto. Logo após, seguiu-se uma grande paz. (Conjunção)
  6. Uma menininha correu ao meu encontro. A garota parecia assustada. (Sinônimo)
  7. O avião ia levantar voo. O aparelho fazia um ruído ensurdecedor. (Hiperônimo)

No quadro a seguir, apresentaremos palavras que podem funcionar como elementos de coesão.

Preposições

a, de, para, com, por, etc.

Conjunções

que, para que, quando, enquanto, embora, mas, porém, contudo, todavia, etc.

Pronomes

ele, ela, seu, sua, este, esse, aquele, que, o qual, etc.

Advérbios e locuções adverbiais

aqui, aí, lá, assim, abaixo, adiante, forma, mais, menos, agora, logo, antes, por cento, de fato, com efeito, desse modo, dessa maneira, aos poucos, etc.

Palavras denotativas

apenas, eis, é que, lá, ainda, só, então, afinal, agora, também, até, mesmo, inclusive, menos, exceto, fora, salvo, senão, sequer, etc.

USO DE ALGUNS CONECTIVOS

Listaremos alguns conectivos que corriqueiramente causam dúvida aos serem usados. Lembre-se de que ao redigir determinados tipos de texto, como trabalhos acadêmicos, livros, excetuando os de cunho literário, e-books, artigos, matérias de jornal, entre outros, é necessário que se matnte. Dessa maneira, fixaremos conectores que corriqueiramente são usados indevidamente.

Onde/Aonde

O onde é pronome relativo que se aplica a coisa e é empregado para indicar lugar. Exemplos:

Não conheço a cidade onde nasceu o presidente.

Não sei onde as pessoas se esconderam.

O onde equivale a em que somente quando a referência é lugar físico. Exemplos:

A casa onde (em que) nasceu.

A estrada onde (em que) ocorreu o acidente.

Logo, não se usa onde quando a referência não é lugar físico.

O século em que

Nesta época em que

Arranjou um emprego em que

Aonde usa-se com verbos de movimento.

Aonde ele foi?

Aonde essas medidas do governo levarão?

Onde indica permanência.

Onde ele está?

Encontrou os livros onde lhe indiquei.

“O mesmo”

É condenável o uso de o mesmo, a mesma, os mesmos, as mesmas para substituir pronome ou substantivo. Construções, como as a seguir, são indevidas na norma culta.

A moça voltou de viajem e “a mesma” fará amanhã o vestibular.

Cada vez que uma autoridade policial prendesse um indivíduo, “a mesma” deveria ser condecorada.

Note que o emprego de “o mesmo” não é necessário para a compreensão da frase. Se o retirarmos, como no primeiro exemplo, a frase ficaria perfeita:

A moça voltou de viagem e fará amanhã o vestibular.

Mesmo e próprio variam em gênero e número, quando têm caráter reforçativo:

Ela mesma faz artesanato.

Ele mesmo cuida dos filhos.

Eles próprios construíram a casa.

Este, isto, esse, isso, aquele e aquilo

Embora estes pronomes demonstrativos sejam usados de maneira indistinta, há regras que limitam seu uso e devem ser respeitadas no momento da redação. Devemos entender que a função destes pronomes é situar o ser, no tempo e no espaço, em relação à pessoa do discurso.

Dessa maneira, consideremos:

isto, este (e variações)

1ª pessoa

isso, esse (e variações)

2ª pessoa

aquilo, aquele

3ª pessoa

Este (e variações) e isto usam-se:

a) Em referência a seres que se encontram perto do falante. Ex:

Este livro que tenho nas mãos é bom.

Isto que carrego pesa 10 kg.

b) Em referência ao lugar em que o falante está ou àquilo que o abrange fisicamente. Ex:

Este quarto é um forno.

Nunca na história deste país houve tanto escândalo.

c) Em referência a um termo imediatamente anterior.

A motosserra abate a árvore, e esta volta a nascer e a crescer.

d) Em referência a um momento presente ou que ainda não passou.

Este ano presenciamos vários casos de racismo.

e) Em referência ao que se vai anunciar.

Na atual conjuntura política, constatamos estes três problemas: corrupção, impunidade e desrespeito ao povo brasileiro.

f) Em referência àquilo que estamos tratando.

Este problema pode prejudicar a democracia.

Esse (e variações) e isso usam-se:

a) Em referência a seres que se encontram longe do falante e perto do ouvinte.

Esse livro que tens na mão é bom?

b) Em referência ao lugar em que o ouvinte está ou àquilo que o abrange fisicamente.

Esse apartamento é um forno.

c) Em referência ao que está na outra pessoa.

Quantos vivem nesse país da Eurora?

d) Em referência a tempo futuro distante ou àquilo de que desejamos distância.

O povo já não confia nesses políticos.

e) Em referência àquilo que já foi mencionado.

Impunidade e corrupção: esses foram os assuntos da reunião presidencial.

f) Em referência ao que já se mencionou.

A Operação Lava Jato teve bastante êxito. Essa deve ser continuada.

Aquele (e variações) e aquilo usam-se:

a) Em referência a seres que se encontram longe do falante e do ouvinte.

Aquele livro que está na mesa é seu, Luís?

b) Em referência a tempo passado ou futuro, remoto ou muito longínquo.

Naquela oportunidade, o então governador decidiu renunciar o cargo.

c) Para estabelecer a distinção entre duas pessoas ou coisas anteriormente citadas, usa-se este (ou variações) em relação à que foi mencionada por último e aquele (ou variações) em relação à nomeada em primeiro lugar.

Luís e Jeni estudaram na Europa; esta em Paris, aquele em Londres

Caso precise de uma ajuda para revisar seu texto, conheça nossos serviços clicando aqui.

Se o conteúdo foi relevante para você, compartilhe! 😉

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Sobre o autor

Sobre o autor

Prof. João Lucas tem grande paixão por leitura e escrita. Formado em Letras pela Universidade Católica de Brasília, atualmente se dedica à revisão de textos e leciona Língua Portuguesa em escolas de Brasília.